Alimentos difíceis de parar de comer: o que são os hiperpalatáveis

Imagem retirada de https://www.diabetes.org.br/publico/ultimas/1610-o-poder-do-hiper-sabor-e-dos-alimentos-hiper-palataveis
Imagem retirada de https://www.diabetes.org.br/publico/ultimas/1610-o-poder-do-hiper-sabor-e-dos-alimentos-hiper-palataveis

Existem alguns alimentos que são capazes de nos fazer continuar comendo sem parar, até acabar o pacote ou mesmo repetindo a porção. Isso acontece porque o sabor consegue fazer com que o cérebro ignore quando já comemos o suficiente e, provavelmente, já estamos satisfeitos. Mas como isso é possível?

Hiperpalatáveis: o que é isso?
Os alimentos hiperpalatáveis são mais conhecidos como fast-food, doces e até como os ultraprocessados, mas, cientificamente, não possuem uma definição exata estabelecida como consenso.

Por isso, o novo estudo da Universidade do Kansas, nos Estados Unidos, publicado no periódico Obesity, pesquisou a fundo para categorizá-los melhor e entender se o consumo desse tipo de alimento é maior do que outros.

A partir de pesquisas e análises, os autores do estudo conseguiram segmentar esses alimentos em aproximadamente 3 grupos combinatórios: gordura com sódio, açúcar simples com gordura e carboidratos acompanhados de sódio.

Dentro desses grupos se encontram doces, lanches de fast-food, mas também até mesmo alguns vegetais quando "fritos". Cerca de 67% de todos os alimentos mapeados corresponde aos critérios assumidos pela pesquisa e são considerados hiperpalatáveis.

Portanto, a atenção na hora de escolher os alimentos é um fator apontado pelo estudo como algo importante. É necessário estar atento aos níveis de sódio, gordura e carboidratos, presente nos valores nutricionais.
Alimentos hiperpalatáveis

Os alimentos considerados hiperpalatáveis são aqueles que possuem:

- Gordura + sódio: Mais de 25% das calorias provenientes de gordura e um valor igual ou maior que 0,3% de calorias provenientes de sódio. Entre eles estão: bacon, hot dog e pizzas.
- Açúcar simples + gordura: Mais de 20% calorias de origem de açúcares simples e outro 20%(ou mais) calorias provenientes da gordura. Nesse grupo, se encontram: bolos, sorvetes e brownies, por exemplo.
- Carboidratos + sódio: uma taxa igual ou maior a 40% das calorias totais correspondente a carboidratos
- outro 0,2% das calorias totais provenientes de sódio. Algumas das fontes dessa combinação são: pães, bolachas, pretzels, pipocas industrializadas e biscoitos.

Comer demais: é culpa deles?
Embora seja comprovada a dificuldade de parar de comer alimentos hiperpalatáveis, ainda não há dados o suficiente para saber se eles também causam, estimulam ou aumentam a compulsão alimentar.

Entretanto, o que se sabe sobre a compulsão alimentar gira em torno de fatores emocionais que comprovadamente podem levar à condição, como por exemplo:

- Comer por conforto emocional
- Dietas rígidas
- Estresse
- Baixa autoestima
- Traumas emocionais

Por isso, o ideal para quem sofre da condição é sempre procurar por um profissional especialista, como os psicólogos, nutrólogos, dentre outros. Encontrar as causas da compulsão é essencial para descobrir a melhor forma de tratar.

Fonte: Minha Vida

NaturalSPA
qrc:///tray_popup/win/index.html#