Boxe é para todo mundo? Conheça os benefícios e como começar

Imagem retirada de http://blog.movepetropolis.com.br/2017/11/13/40/
Imagem retirada de http://blog.movepetropolis.com.br/2017/11/13/40/

O boxe, também conhecido como pugilismo, é uma modalidade bastante antiga, mas até hoje muitos mitos e dúvidas cercam a prática desse esporte. Ele proporciona inúmeros benefícios ao corpo e mente de quem o pratica. Abaixo, entenda mais sobre o boxe:

Como surgiu?
De acordo com a história, os primeiros indícios do boxe surgiram na Mesopotâmia em 5 mil a.C. Nesta época, os duelos eram extremamente agressivos e terminavam com a morte de um participante. Mas, foi na Grécia, em 668 a.C., que o boxe ganhou regras e passou a ser incluído nas Olimpíadas.

Desde então, a modalidade foi se adequando às mudanças de costumes e hoje em dia é um esporte que conquistou adeptos de sexos e faixas etárias bem variadas. Há quem o busque para emagrecer, para melhorar o condicionamento ou até mesmo para dar uma aliviada no estresse.

Se você pretende começar a fazer aulas de boxe mas tem algum tipo de receio, essa matéria foi escrita pensando principalmente em você. Conheça os benefícios que o boxe pode te proporcionar, os principais golpes e como são as aulas.

Como o boxe ajuda a emagrecer?
Segundo Carlos Beltrani, ortopedista e médico do esporte, o boxe é um treino cardiovascular intenso que trabalha não apenas os membros superiores, mas também os inferiores, resultando em um grande gasto calórico. "Uma aula com duração de 60 minutos pode queimar até 1.000 calorias, enquanto a corrida queima aproximadamente 600. Além disso, o esporte é muito bom para diminuir a quantidade de gordura visceral, que é aquela que fica dentro da região abdominal e aumenta a cintura", explica Beltrani.

A gordura visceral está associada ao desenvolvimento de doenças cardíacas, diabetes e alguns tipos de câncer. Portanto, a prática do boxe vai muito além da estética, e se torna uma ótima aliada da saúde.

Mas o personal trainer Cássio Fidlay reforça: "Além de agilidade, atenção e resistência, o boxe tem um gasto calórico enorme que potencializa a queima de gordura.Mas, como sempre digo, tudo é um conjunto e nada emagrece por si só. É necessária a junção do exercício com a alimentação saudável".

Dê um nocaute no estresse
O professor Leonardo Sobrinho indica que as aulas são o momento ideal para extravasar e mandar embora todo sentimento de raiva e frustração. Além, inclusive, de melhorar o convívio social dos alunos, tendo em vista que as atividades são feitas na maioria das vezes em dupla.

Bruno Barsotti educador físico e personal trainer da Black Fitness Club, ressalta que a prática do boxe, assim como qualquer outra atividade física, é capaz de melhorar a qualidade do sono e estimular o aluno a beber mais água e se alimentar melhor. Com essas trocas, o corpo passa a eliminar mais toxinas e isso permite que hormônios bons sejam liberados, proporcionando a sensação de bem-estar.

E o condicionamento físico, melhora?
Melhora e muito. Isso porque exercícios aeróbicos fazem parte da rotina de quem treina boxe. Pular corda, fazer abdominais e corrida são apenas alguns exemplos de práticas realizadas durante os treinos. O campeão mundial Miguel de Oliveira, que hoje dá aulas de boxe na academia Cia Athletica Kansas, explica: "Todas essas atividades realizadas durante as aulas, são exercícios aeróbicos intensos, que fazem o coração bater mais rápido, aceleram a respiração e elevam o esforço físico de maneira geral. Portanto, se praticado com regularidade, o corpo vai se adaptando e demandando cada vez menos esforço para executar as atividades. Com o tempo, o condicionamento físico melhora, permitindo que a pessoa tenha mais resistência e possa evoluir no treino".

Postura e consciência corporal
De acordo com o ortopedista e médico do esporte Carlos Beltrani, o treino estimula todos os grupos musculares do corpo, principalmente a musculatura paravertebral das costas, que é a responsável pelo alinhamento da coluna vertebral. Miguel complementa que o boxe, por fortalecer o core, dá maior sustentação ao corpo. Além disso, afirma que essa modalidade é excelente para aumentar o equilíbrio e a consciência corporal do praticante, o que também contribui para uma postura melhor.

Reflexo, concentração e coordenação motora
O personal fight Tarcísio Cavalcante ou Taz, como costuma ser chamado, explica que, devido as sequências de golpes (socos e esquivas) realizadas durante o treino, acaba-se exigindo maior concentração do aluno. O que, consequentemente, faz que o foco e o reflexo sejam trabalhados e bem desenvolvidos.

O professor de boxe Leonardo Sobrinho Raphael explica que conciliar um golpe no adversário, esquivar e manter a guarda fechada são atividades que exigem atenção e agilidade. Portanto, o treino regular também auxilia na melhora da coordenação motora.

Esquive-se da baixa autoestima
E quando a pergunta é se o boxe melhora a autoestima de quem o pratica, a resposta positiva é unânime entre os especialistas. Além das mudanças estéticas, como o emagrecimento e fortalecimento muscular, o boxe trabalha a autoconfiança e a disciplina do aluno. Além disso, nas aulas, os alunos passam a superar suas limitações constantemente e contam com o apoio dos colegas de turma, o que os ajuda a serem mais confiantes no dia a dia em diversos âmbitos de suas vidas. "Tudo o que mexe com a endorfina te faz ficar mais alegre, desperto e consequentemente melhora muito sua autoestima", complementa Cássio Fidlay.

Quero começar. Quais cuidados devo tomar?
Tanto para o boxe, quanto para qualquer outra atividade física, o educador físico Bruno Barsotti alerta que é preciso estar atento a alguns cuidados antes e durante a prática dos exercícios. "É essencial saber se a pessoa tem algum tipo de lesão, alguma cirurgia, fratura ou qualquer problema que possa ser potencializado com os movimentos.

Cabe ao profissional fazer uma anamnese para que possa se detectar qualquer fator prejudicial, para que se possa solucionar qualquer problema e também evitar problemas maiores". Cássio Fidlay recomenda que o boxe seja conciliado com a musculação para que se mantenha os músculos protegidos de possíveis lesões.

O ringue é para todos?
Sim. Homens, mulheres, adultos e até mesmo crianças. De acordo com o ortopedista e médico do esporte, Gustavo Caldeira, qualquer pessoa que tome os cuidados acima e esteja apta para iniciar qualquer tipo de atividade física, está apta para o boxe.

Quanto às crianças, Caldeira afirma que não existe uma idade recomendada para começar o boxe. "O ideal é adaptar a faixa etária ao treinamento, iniciando sem trauma, apenas coordenando movimentos e gestual específico do esporte. Muitos alunos começam a praticar boxe com 8 ou 9 anos", finaliza Caldeira.

Dinâmica das aulas
De acordo com o professor Miguel de Oliveira, as aulas são voltadas para as partes educativas e terapêuticas para aqueles que não desejam tornarem-se boxeadores profissionais.

1. Alongamento
2. Aquecimento Movimentação do boxe (exercícios no saco de pancadas, manoplas, cordas)
3. Escolinha ou luvinha: treino em dupla
4. Sparring (treino aproximado de uma luta)

Quer se familiarizar com os golpes? O professor Taz Cavalcante explica cada um deles. Entenda:
- Jab: soco frontal rápido, dado com a mão que está um pouco mais frente da guarda (a guarda é a posição que te protege de possíveis golpes). Geralmente utilizado para medir a distância ao oponente.
- Direto: Soco frontal mais forte, dado com a mão contrária do Jab.
- Gancho: Soco dado de baixo para cima, com o objetivo de atingir o queixo do adversário.
- Cruzado: Soco lateral forte, quando executado no alto seu objetivo é acertar a lateral da cabeça do adversário. Mas também pode ser dado na linha de cintura.

Lembrando que não é preciso ser atleta para começar a praticar o boxe, basta se identificar com a modalidade e aproveitar os benefícios que virão junto com a prática

Fonte: Minha Vida

qrc:///tray_popup/win/index.html#