Consumir suplementos de fibras sem cuidar da dieta não ajuda a emagrecer

As fibras alimentares parecem um daqueles remedinhos que curam todos os males do mundo, um santo remédio! Fibra para melhorar o intestino, fibra para baixar o açúcar no sangue, fibra para baixar o colesterol, fibra para ajudar a perder peso... Mas será que as fibras são tão poderosas assim?

Muito se pesquisa o quanto a mudança de padrão alimentar tem influenciado o avanço de doenças crônicas como obesidade e diabetes no mundo. Conclusões importantes sobre o tema abrem caminho para mudar a curva de crescimento dessas doenças, uma delas revela que ao longo das últimas décadas não houve mudança significativa no consumo de gordura, ou seja, a sociedade moderna consome a mesma quantidade de gorduras que seus antepassados. Se o consumo de gordura é igual, o que poderia justificar o ganho de peso? Ai é que esta a surpresa, o aumento de produtos refinados pode ser a causa do excesso de peso da população.  

É claro que sendo a obesidade uma doença multifatorial, não podemos explicá-la apenas por alterações no padrão alimentar. Mudanças no estilo de vida, principalmente o sedentarismo ajudam a explicar a epidemia. Um único fator na alimentação também é muito pouco. O consumo de gordura pode ser o mesmo, mas como o corpo humano não é mais capaz de queimar essa energia e os estoques inevitavelmente aumentam. Também a qualidade de gordura passou a ter mais importância. Açúcar é outro nutriente que figura entre os vilões da saúde. Seu consumo aumentou muito, alavancado principalmente por bebidas como sucos prontos e refrigerantes.

Outros fatores poderiam ser apontados, mas o alimento industrializado requer uma atenção especial. O processo de refinamento dos alimentos tem um objetivo claro de melhorar a palatabilidade de seus produtos. Para alcançar tal feito retirou-se a parte nutritiva do grão, justamente a fibra alimentar. Sem essa fração fibrosa, a digestão dos alimentos passou a ser realizada muito rapidamente, deixando de causar saciedade e de estimular a produção de enzimas que estimulam hormônios capazes de controlar a glicemia. Esse processamento atinge principalmente cereais como trigo, milho e arroz. O trigo é um dos nutrientes mais utilizados na dieta moderna, sendo ingrediente básico para pães, biscoitos, massas, bolos, além de ser utilizado como espessante em produtos como sopa e iogurte.

Então sem a fibra comemos mais? Sim, é isso mesmo! Logo é verdadeira a afirmação que o consumo de fibras ajuda no controle de peso. Aliás, quase todas as alegações associadas às fibras são verdadeiras. São excelentes na busca do controle glicêmico ideal e realmente ajudam na redução do colesterol, além de contribuir para bom funcionamento intestinal.  

A melhor forma de consumir fibra é inseri-la na alimentação do cotidiano. A quantidade diária ideal de fibras é de 30 gramas. Para atingir essa recomendação seria preciso que todas as refeições fossem compostas por cereais integrais (pão integral ou arroz integral), somadas às frutas, com 4 a 5 porções por dia, com verduras, legumes e grãos no almoço e jantar. Alimentos suplementados com fibra ou mesmo bebidas ricas em fibra podem somar à dieta, mas nunca substituir.  

É importante lembrar, que para um produto processado ser considerado integral, ou rico em fibra, ele deve conter em sua composição, no mínimo, 50% de cereal integral, farinha de trigo integral no caso de pães ou biscoitos. Outra questão que merece ressalva é a quantidade de açúcar e gordura que alguns alimentos com alegação "integral" apresentam. Nesse caso, a fibra é apenas um enfeite que irá melhorar a imagem do produto e não o valor nutricional.

Assim, os benefícios não podem ser atribuídos somente à presença de fibras na dieta, a qualidade do alimento é essencial. Ao avaliar com atenção as recomendações, nota-se que não há espaço para alimentos super processados ou refinados. As frutas devem ser consumidas como refeições intermediárias, substituindo as famosas bolachinhas preparadas com farinha branca, e as refeições compostas por alimentos, por exemplo, salada com folhas e legumes, arroz integral e feijão. Uma proteína magra soma-se à refeição e o prato fica completo.  

Usar suplemento de fibra e não cuidar da escolha dos alimentos pode ser útil para bom funcionamento intestinal, mas não terá efeito sobre peso e doenças metabólicas. As fibras são excelentes, mas não há milagres, escolhas alimentares adequadas, preparadas em nossos lares, somados à atividade física é que, sim poderão influenciar nossa qualidade de vida e longevidade.

Fonte: Minha Vida, escrita por Amanda Epifânio Pereira

qrc:///tray_popup/win/index.html#