Hábitos para uma alimentação saudável nas férias

Férias é o período para relaxar, rever conceitos e, claro, descansar. Só não pode haver relaxo quando o assunto é alimentação saudável. "As férias mudam a nossa rotina, mas não podemos esquecer que determinadas coisas não entram de férias - uma delas é a saúde", diz a psicanalista Ângela Mathylde Soares.

Que tal aproveitar o tempo de sobra para rever a sua dieta? Adote esses sete hábitos que, além de te ajudarem a manter a linha nesse período, prolongam os resultados para quando o descanso acabar.

Repense os hábitos alimentares
Muitas vezes, a falta de tempo é a grande desculpa para adiar as mudanças nos hábitos alimentares. Durante as férias, fica mais fácil organizar e planejar as refeições, assim como investir em outros hábitos saudáveis.

Além disso, acrescenta a nutricionista Joana Lucyk, naturalmente você está menos estressado. "Não há reeducação alimentar que dê certo se estamos estressados. Nas férias, como estamos relaxados, fica mais fácil nos adaptarmos a mudanças no comportamento alimentar", ela explica.

Tome cuidado com os pratos típicos
Usar as férias para conhecer outras culturas é comum, ainda mais por meio de sua culinária. Por mais que seja uma aventura deliciosa, exagerar nas experimentações pode pesar na balança.

"Não vale experimentar vários pedaços de várias delícias diferentes. Aí pecamos, de qualquer forma, pelo excesso. Portanto, escolha apenas uma delícia por dia", aconselha a nutricionista Joana Lucyk. "Também é preciso saber um pouco sobre a preparação do alimento, para tentar verificar se o mesmo é muito calórico e saber se há alimentos aos quais tem intolerância ou alergia, o que pode causar graves prejuízos a sua saúde", adiciona a nutricionista Teresa Marsi.

No entanto, lembre-se de que não adianta restringir as mudanças de atitude às férias, lembra a nutricionista Teresa Cristina de Oliveira Marsi. Procure estender esses hábitos para quando o período de descanso acabar.

Seja prático na cozinha
É possível usar alguns macetes para tornar o preparo dos alimentos muito mais prático em casa e não precisar recorrer a fast food ou restaurantes todos os dias. O forno micro-ondas é um dos melhores amigos da praticidade: "Uma das vantagens é a melhor preservação dos nutrientes, pois neste método de cocção o alimento não precisa ser imerso em água", explica a nutricionista Meire Braga.

No entanto, alguns cuidados devem ser tomados no manuseio do aparelho. Antes de consumir o alimento feito ou esquentado nele, a nutricionista Teresa Marsi aconselha que aguardemos metade do tempo de cocção para consumir o alimento - por exemplo, se a comida ficou dois minutos no forno, deve-se esperar um minuto para consumi-lo. Ela explica que há referências de que o aquecimento no micro-ondas aconteça por agitação molecular. "Caso a pessoa ingira o alimento imediatamente após a cocção, o número de radicais livres poderá ser bem alto, pois não há tempo de haver uma reorganização molecular e a redução dos radicais livres", justifica.

Também é melhor evitar recipientes plásticos, dando preferência aos de vidro. "O plástico, quando aquecido, libera bisfenol, substância tóxica para o nosso organismo, que pode favorecer a multiplicação de células de gordura, entre outros males", alerta a nutricionista Joana Lucyk.

Teresa ainda aconselha o uso de outros aparelhos práticos, como forno elétrico pequeno, multiprocessador, grill, panela de arroz elétrica e até máquina de pão.

Outra opção é comprar legumes já picados, que, como lembra a nutricionista Ingrid Bigotto, da Oligoflora SPA, podem ser usados em preparos de saladas ou sopas rápidas. "Também há muitas opções saudáveis e fáceis de preparar na cozinha, como salada de frutas com granola e agávia; polpa de açaí com granola; lanche frio com pão integral, queijo branco, peito de peru, tomate seco e alface, entre outras", completa.

Fonte: Correio do Estado

NaturalSPA
qrc:///tray_popup/win/index.html#