O ácido úrico é um problema para sua saúde? Veja os alimentos que ajudam a controlar essa substância

Imagem: Dollarphotoclub
Imagem: Dollarphotoclub

O ácido úrico é uma substância produzida pelo organismo e que normalmente não faz mal, pois costuma ser eliminada pelos rins. No entanto, pode ser prejudicial à saúde quando encontrado em excesso, aumentando o risco de acidentes cardiovasculares, cálculo renal e artrite gotosa, também conhecida como gota.

Isso acontece quando essa substância se acumula nas articulações, calcificando o local e causando muita dor. Nesses casos, o indivíduo pode até precisar de uma cirurgia, caso o movimento das articulações esteja restrito.

O excesso de ácido úrico pode ser causado pelo consumo exagerado de alimentos ricos em gordura saturada e em proteínas, como carnes vermelhas e frutos do mar. A ingestão excessiva de bebida alcoólica e o sedentarismo também contribuem para a piora da condição.

Por isso, o mais indicado por especialistas é manter uma alimentação equilibrada e beber muita água, além de praticar exercícios regularmente. Pensando nisso, o Instituto de Longevidade conversou com Patrícia Ruffo, nutricionista da Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição (SBAN) sobre os alimentos que devem ser evitados a fim de manter os níveis de ácido úrico controlados no organismo.

Uma dieta balanceada é o segredo para manter o ácido úrico controlado
De acordo com Patrícia, os piores alimentos para quem sofre com o excesso de ácido úrico são aqueles com purina em sua composição. “Existem reações metabólicas no organismo onde a purina é metabolizada, fornecendo nitrogênio na forma de ácido úrico, que é excretado na urina”, diz. “Se isso ocorre em altas concentrações, o ácido pode causar problemas, como a formação de cristais nas articulações”.

Quando isso acontece, o recomendado é manter uma dieta à base de alimentos com quantidades moderadas de purina. “A restrição moderada desses alimentos contribui para reduzir a formação de ácido úrico, auxiliando na formação desses cristais que se depositam nas articulações”, afirma a nutricionista.

Alimentos que devem ser evitados
Carnes vermelhas e frutos do mar contêm muita proteína em sua estrutura, por isso são os principais alimentos associados ao aumento de ácido úrico. Patrícia afirma que alimentos industrializados preparados a partir de carnes vermelhas também devem ficar longe do cardápio.

Certos grãos, como ervilha, lentilha e feijão, têm uma concentração alta de purina. O recomendado é que pessoas com elevado teor de ácido úrico consumam essas comidas uma ou duas vezes por semana, no máximo.

Bebidas alcoólicas, principalmente cerveja, podem ser até mais prejudiciais do que carnes vermelhas, pois podem aumentar os níveis da substância no corpo e dificultar a sua eliminação. “É verdade que qualquer bebida alcoólica pode aumentar o ácido úrico e causar maiores problemas”, explica a nutricionista.

Algumas verduras também devem ficar de fora ou ser ingeridas com moderação, como aspargos, champignons, couve-flor, espinafre, rabanete e alho-poró.
Alimentos que combatem os altos níveis de ácido úrico

Como a alimentação é a base para controlar os níveis de ácido úrico no organismo, é importante ficar atento às comidas que podem ajudar a eliminar o excesso dessa substância. Confira:
- Alcachofra;
- Alho;
- Arroz;
- Batata;
- Café
- Cebola;
- Cenoura
- Laranja;
- Leite e derivados;
- Limão;
- Macarrão;
- Ovos.

Sintomas do excesso de ácido úrico no organismo

Está em dúvidas se está com os níveis de ácido úrico controlados ou elevados? Confira os principais sintomas de quem sofre com essa condição e que podem ser o indício de gota ou pedra nos rins:
- Dor e inchaço nas articulações, principalmente nos dedos, cotovelos, joelhos e pés;
- Vermelhidão nas articulações;
- Dificuldade em movimentar as junções;
- Calafrios e febre baixa;
- Cólicas renais;
- Descamação na região afetada.

Em caso de apresentar um ou mais desses sintomas, o mais indicado é procurar um especialista.

Fonte: Instituto Mongeral Aegon

NaturalSPA
qrc:///tray_popup/win/index.html#