Por que enxaguante bucal reduz beneficios dos exercícios?

Imagem retirada de https://www.ativosaude.com/saude/enxaguante-bucal/
Imagem retirada de https://www.ativosaude.com/saude/enxaguante-bucal/

A higiene bucal é fundamental para a prevenção de doenças, mas um estudo descobriu que o enxaguante bucal utilizado pode reduzir os benefícios da atividade física.

De acordo com a pesquisa, publicada no Free Radical Biology and Medicine, o produto causou alterações na pressão arterial, o que pode reduzir os efeitos benéficos dos exercícios para quem tem hipertensão.

Exercícios e pressão arterial
Ao praticar exercícios, os vasos sanguíneos se dilatam ao praticar alguma atividade física, mandam mais sangue para os músculos que, consequentemente, funcionam de forma melhor.

Esse processo é ativado pelo óxido nítrico, que mantinha o ritmo igual mesmo depois do término do exercício, o que causa uma queda de pressão, a hipotensão pós-exercício (HPE).

Hipotensão arterial
O HPE é um fenômeno fisiológico comum que leva à redução da pressão arterial após o exercício agudo. Ainda não se sabe completamente como isso ocorre, mas o novo estudo investigou descobriu que o enxaguante bucal pode ter uma influência negativa nesse processo.

Isso porque o óxido nítrico se transforma em nitrato e a pesquisa revelou que ele pode ser absorvido pelas glândulas salivares e liberado pela saliva da boca, sendo convertido em nitrito pelas bactérias que vivem ali. Mas o que isso significa?

Quando o nitrito é engolido, parte vira óxido nítrico novamente e isso mantém os vasos sanguíneos dilatados, como se a pessoa tivesse acabado de fazer exercício de novo, e portanto, com a pressão baixa e mais oxigenação celular.

Então, se a pessoa usa enxaguante bucal e ele mata as bactérias que fazem esse ?serviço?, os benefícios prolongados dos exercícios físicos nessa situação, podem ser reduzidos.

Esses achados mostram que a síntese de nitrito por bactérias comensais orais é um mecanismo essencial para induzir a resposta vascular ao exercício durante o primeiro período de recuperação, promovendo, assim, menor pressão arterial e maior oxigenação muscular.

Enxaguante bucal e pressão arterial
O estudo analisou 23 adultos saudáveis e sem nenhum tipo de problema bucal. Os participantes realizaram meia hora de esteira e realizavam o enxágue bucal em intervalos de 30, 60 e 90 minutos após os exercícios.

Os enxágues eram feitos de duas formas:
- com enxaguante bucal antibacteriano (contendo 0,2% de clorexidina)
- com placebo de sabor mentolado

Sendo que, nem os especialistas e nem os participantes sabiam qual dos produtos estavam usando. A análise foi feita a partir da pressão sanguínea, além das amostras de sangue e saliva de antes e depois de 120 minutos de exercícios.

Os pesquisadores responsáveis, da Universidade de Plymouth, na Inglaterra, constataram que:
- Os participantes que usaram o placebo apresentaram uma queda de 5.2mmHg uma hora após o exercício
- Aqueles que usaram enxaguante bucal antibacteriano apresentaram a queda de 2.0mmHg também após uma hora

Com isso, o resultado mostrou que os efeitos do exercício físico podem ser reduzidos em até 60% para os participantes que fizeram o enxágue bucal.

Bactérias e sistema cardiovascular
O estudo reforça a importância de determinadas bactérias encontradas na boca humana para a saúde cardiovascular, que são eliminadas com o uso do enxaguante bucal.

Além disso, os estudiosos pretendem investigar mais detalhadamente os efeitos que os exercícios físicos têm em relação à atividade das bactérias da boca.

Fonte: Minha Vida

NaturalSPA
qrc:///tray_popup/win/index.html#