Shake para emagrecer vale a pena? Nutricionista explica

Imagem retirada de Você já deve ter ouvido falar em algum tipo de shake, usado para para substituir refeições e ajudar na perda de peso. Esse tipo de produto possui em sua composição carboidratos, proteínas e alguma fração de gordura, além de fibras, vita
Imagem retirada de Você já deve ter ouvido falar em algum tipo de shake, usado para para substituir refeições e ajudar na perda de peso. Esse tipo de produto possui em sua composição carboidratos, proteínas e alguma fração de gordura, além de fibras, vita

Você já deve ter ouvido falar em algum tipo de shake, usado para para substituir refeições e ajudar na perda de peso. Esse tipo de produto possui em sua composição carboidratos, proteínas e alguma fração de gordura, além de fibras, vitaminas e minerais em alguns casos.

Alguns profissionais costumam indicar o seu uso como forma de auxiliar no processo de emagrecimento, por ser uma forma de controlar mais rigorosamente o volume de alimento ingerido em determinadas refeições, que poderiam estar desequilibradas ou conter excesso de calorias.

Os shakes são usados para substituir uma refeição, tendo uma quantidade menor de calorias, podendo deixar uma sensação maior de saciedade. Em alguns casos, a bebida pode se tornar uma opção menos prejudicial ao processo, como quando existe o hábito de trocar o jantar por um lanche pobre em vitaminas, minerais e fibras.

Porém, vale ressaltar que existem situações e situações. O melhor caminho para se alcançar o emagrecimento é trabalhar novos e saudáveis hábitos alimentares, de forma constante e duradoura.

Substituir refeições por shakes pode inicialmente ser tentador, mas é preciso exercitar junto algumas mudanças comportamentais, aprendendo a comer o que seu organismo realmente necessita. Sendo assim, o shake pode ser uma opção para situações esporádicas, mas vale lembrar que nem todos os shakes vendidos por aí podem ser interessantes.

Também é importante lembrar que ele não deve substituir várias refeições ao dia: pode entrar no café da manhã, no lanche da tarde e, eventualmente, compor um jantar, por exemplo. Mas para isso é necessária a indicação e a avaliação da composição deste produto por parte do nutricionista que acompanhar o caso, para que não seja utilizado de forma que venha comprometer a saúde.

Ao parar com o shake, o peso perdido volta?
Se o shake não foi inserido na dieta de forma correta, sim. O ideal é que junto ao uso do produto, ocorra uma reeducação alimentar, pois sem ela, quando for retirado da dieta o shake, certamente a refeição que vai compor a alimentação poderá ter um valor calórico bem maior do que aquele contido na bebida, além de ter o risco de ser uma refeição pobre em nutrientes como vitaminas e minerais.

O shake contém os componentes necessários para uma refeição completa?
Em geral, a maioria dos shakes prontos no mercado possuem uma concentração de carboidrato alta, além do percentual de proteína e, em algumas versões, a gordura vem com uma baixa concentração. Vale ressaltar que a gordura não é tão ruim assim. Uma boa gordura auxilia na absorção de vitaminas A, D, E e K, além de favorecer a saciedade por um período mais longo.

A melhor opção é substituir o café da manhã, o almoço ou o jantar?
O café da manhã, o lanche da tarde ou eventualmente o jantar são as melhores refeições para substituir, se for realmente necessário.

Pode ser substituída mais de uma refeição por dia?
Não é interessante substituir mais de uma refeição, já que isso poderá comprometer o processo de reeducação alimentar.

A falta da mastigação pode ser um problema, já que ela é parte do mecanismo digestivo?
Se o shake se tornar uma fração alimentar predominante na dieta sim, pois a mastigação é um importante mecanismo até mesmo para ativar a saciedade.

O shake pode ser tomado para sempre?
Não. Ele pode até compor a dieta em algumas etapas do processo de perda de peso, sendo uma opção prática no lanche da tarde, por exemplo, mas como a alimentação envolve várias situações, como o emocional, por exemplo, é importante saber lidar com todo tipo de alimento.

Afinal comer é bom e comer bem é melhor ainda, então entre um shake que termina apresentando sempre o mesmo sabor e uma refeição variada, a segunda opção certamente é mais atraente. Quem aderir ao shake não conseguirá mantê-lo para sempre. E é aí que entra a importância da reeducação alimentar, para que nesta situação seja possível fazer escolhas certas, que não tragam de volta os quilos perdidos e alguns extras.

Outro ponto importante a ser observado é o volume da refeição proposta. Pode acontecer em algumas situações o uso indevido de shake em refeições como almoço, onde deveria conter uma diversidade de alimentos coloridos, com fibras, proteínas, e até mesmo a famosa dupla arroz e feijão, porém, acaba sendo consumo um volume grande de shakes e até mesmo acompanhamentos de mais sucos, chás, água.

Isso acaba desencadeando uma distensão do estômago e, como o uso do shake, principalmente no almoço, é uma prática que não será realizada por muito tempo, quando for suspenso o uso será necessário um volume maior de alimentos para ocupar o "espaço" no estômago, que era preenchido por todo aquele volume de líquido. No fim, para ocupar o espaço e ter a saciedade, acaba ocorrendo o ganho de peso.

Por isso, é muito importante ter a orientação de um profissional para determinar a forma correta de utilizar um shake, quando necessário, de forma que não venha comprometer sua saúde e seu peso corporal.

Fonte: Minha Vida

qrc:///tray_popup/win/index.html#